A plataforma contra o canon digital apresenta 669,000 assinaturas em apoio ao Ministério da Cultura

A plataforma Todoscontraelcanon é apresentado ao Ministério da Cultura 669,000 assinaturas coletadas em sua campanha contra o canon digital, aparecendo incluído na Lei de Propriedade Intelectual (LPI)

Esta plataforma, que inclui sindicatos, telecomunicações e organizações de consumidores, também apresentou um pedido ao Ministério Entre elas está a de participar de todos os processos que têm a ver com a nova LPI

Você está atualmente aberto no prazo de quatro meses para o empregador da indústria de tecnologia da informação para chegar a um acordo com as entidades que gerem direitos de autor sobre o valor da taxa no caso em que há consenso será os ministérios da Cultura e da Indústria que decidem sobre

Proporcional ao preço

Todoscontraelcanon se que a taxa deve ser proporcional ao preço do produto e devem ser obrigados a informar os consumidores sobre o que pagam para esse conceito, como atualmente "há uma falta de transparência na recolha indiscriminada de canon"

Também solicita que o cânon a suportes, equipamentos e redes de telecomunicações, que servem tanto para o conteúdo que eles têm direitos sobre aqueles livres deles, não se aplica tão "se esses produtos indiscriminadamente tributados são penalizados (em benefício de uns poucos) a todos os utilizadores "

Por outro lado, a plataforma continua a campanha de informação "O cânone afeta você, sua empresa tem", cujo objectivo é sensibilizar a opinião pública sobre as implicações da implementação deste imposto

0

Comentários - 0

Sem comentários

Adicionar um comentário

smile smile smile smile smile smile smile smile
smile smile smile smile smile smile smile smile
smile smile smile smile smile smile smile smile
smile smile smile smile
Caracteres restantes: 3000
captcha